O Design de Embalagem nos dias Atuais

Vocês já pararam para pensar que praticamente tudo o que consumimos é embalado de alguma maneira? Seja nas fases intermediárias de transporte e armazenamento, seja na fase final, de consumo, todos os produtos chegam até nós com o auxílio de uma embalagem. Junte à essa constatação o fato das embalagens assumirem cada vez mais espaço na construção das marcas e você terá um vislumbre da importância do design de embalagem na nossa sociedade.

Se antigamente as únicas funções das embalagens eram proteger, transportar e identificar, hoje estes projetos devem assumir outros papéis tendo como objetivo principal destacar uma marca ou um produto em um cenário cada vez mais competitivo e em constante mudança. São tantos lançamentos semelhantes que as embalagens se tornam as grandes responsáveis por conquistar os consumidores e incentivar a venda.

No ponto-de-venda, assim como em nossas relações interpessoais, a primeira impressão é a que fica. A embalagem é o principal elemento de conexão e de comunicação entre o consumidor, o produto e a marca. É um dos principais fatores que impulsionam a venda do produto. Se a embalagem não for condizente com o produto, não chamar a atenção de quem o compra, a chance do consumidor não perceber o produto é maior.

No momento da compra o consumidor escolhe não só um produto, mas a embalagem que vai fazer parte do seu dia-a-dia. Pense nas caixas de cereal matinal e as informações nelas contidas (no verso, por exemplo). Elas não deixam de ser uma “companhia” durante o café da manhã. As embalagens são projetos de design que nos acompanham nos mais variados momentos, fazem parte da nossa vida, mesmo que de forma discreta. Por esse motivo podemos observar o surgimento cada vez maior de projetos “amigáveis”, com uma linguagem próxima ao consumidor.

554xNx46758eece3ef1e7249608583574596cc.jpg.pagespeed.ic.biV32K68vP

O desafio não é pequeno: unir design estrutural, gráfico, fundamentos de marketing, branding, processos de impressão, pesquisas de matérias-primas, etc.

Para responder à todos esses desafios e à crescente demanda no mercado, se torna fundamental a capacitação de profissionais qualificados. Percebemos a importância de nos aprofundarmos no estudo das áreas que envolvem este segmento: criação; estratégia e planejamento; produção e implementação; e claro, inovação.

Um estudo realizado pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias) indica que 75% das empresas que investiram em design registraram aumentos em suas vendas, sendo que 41% também conseguiram reduzir os seus custos. A pesquisa mostrou ainda que entre produtos semelhantes, o consumidor acaba preferindo o que possui a embalagem mais atraente, bela e prática, estando inclusive disposto a experimentar uma marca nova se a embalagem desta possuir tais características, já que isso está diretamente relacionado à valorização da auto-estima do consumidor.

Mais recentemente, as pequenas e médias empresas também perceberam que podem e devem investir em design para serem competitivas. Mais do que isso, viram que design não é um serviço de luxo, ao contrário, trata-se de um serviço altamente especializado, com uma ótima relação custo x benefício e que pode ser facilmente incorporado ao seu cotidiano.

Seja a empresa de grande, médio ou pequeno porte, no ponto-de-venda todas têm acesso ao consumidor e aquela que investe em design de embalagem tem mais condições de se destacar e se tornar uma marca vencedora.

Assim marcas próprias com investimento e foco em design de embalagem podem bater de frente mesmo com as grandes marcas que estão em evidência e conquistar o consumidor pelo design, podendo assim a empresa provar sua qualidade e fidelizar o cliente final pelo conjunto beleza e qualidade.

Outro estudo muito interessante publicado na revista Journal of Consumer Psychology foi capaz de mostrar justamente a importância da experiência estética sobre o design de embalagens. Pesquisadores utilizaram técnicas de Tempo de Reação, Testes de Escolha e Ressonância Magnética Funcional (fMRI) para avaliar diferentes tipos de embalagens de produtos comercializados em supermercados como refrigerantes, manteiga, chocolates, biscoito etc.

Eles compararam embalagens normais e embalagens com um design estético mais rico, avaliando tanto marcas de produtos famosas como marcas desconhecidas (p.ex. Coca-Cola vs. River Cola). Além disso, os pesquisadores também utilizaram diferentes preços para avaliar se os participantes escolheriam ou não os produtos apresentados. As embalagens eram apresentadas em pares e, durante os testes, o participante deveria escolher qual das duas opções apresentadas ele compraria.

O estudo mostrou que as embalagens com design estético mais rico aumentavam significativamente o tempo de reação dos consumidores, mostrando que eles se sentiam mais atraídos por estas embalagens. O estudo também mostrou que os produtos com design estético mais rico eram mais escolhidos, em detrimento de produtos com marcas conhecidas apresentados em embalagens padronizadas. Isso acontece mesmo quando os produtos chamados estéticos apresentam preços mais elevados, mostrando que existe uma preferência do consumidor pelos produtos mais elaborados esteticamente, que vai além da marca ou do valor do produto.

Por último, o estudo também mostrou que ao experienciar embalagens esteticamente mais ricas os participantes apresentam uma ativação maior em regiões do cérebro como o núcleo accumbens e o córtex pré-frontal ventromedial, regiões que estão diretamente envolvidas no processamento de mecanismos de recompensa. Esses resultados sugerem que a percepção de recompensa desempenha um papel importante na experiência de um produto com design estético mais rico.

A diferenciação do produto pelo seu design pode ser uma estratégia importante para gerentes de marketing interessados em criar um diferencial de mercado. Os resultados da pesquisa sugerem que marcas desconhecidas capazes de se diferenciar pelo design da embalagem teriam a oportunidade de ser a primeira escolha dos clientes, mesmo considerando-se produtos de marcas conhecidas como concorrentes.

Alguns elementos que podem ser trabalhados para criar um diferencial de design e estética são a luminância, cor, forma e textura das embalagens. Tomados em conjunto, estes componentes podem criar uma impressão de produto estético, no entanto, deve-se manter sempre os benefícios das embalagens, evitando que haja confusão ou até mesmo irritação por parte do consumidor ao tornar uma embalagem “diferente demais”.

AUTHOR

Marcelo Costa

Head of Design da Mind Design desde 2008, adora criar coisas, embalagens, 3d, fotografias e muito mais.

All stories by: Marcelo Costa

Leave a Reply

Your email address will not be published.